Tropeçando 2

O mundo de lunga: Conexão 3G – Solução para problema com DNS

Para resolver o problema de DNSs para conexões com modems Huawei, que sobrescreve o /etc/resolv.conf

50 exemplos de menu de navegação

Chartle.net – interactive charts online!

Ferramenta para montagem de gráfico para colocar em sites

Piwigo.org | Photo Gallery Software for the Web

Mais um exemplo de uma boa galeria de fotos

Resize your image online – It’s easy, it’s free!

Redimensionamento de imagens pela web

Filmow

“O Filmow foi criado para pessoas viciadas e apaixonadas por filmes. A principal ideia do Filmow é que você mostre aos seus amigos os filmes que já assistiu, comente sobre eles e dê sua opinião, na página do filme. Mas, para os que apenas gostam de filmes, o Filmow também é uma rede social onde é possível encontrar pessoas e amigos.

No Filmow você fica sabendo quais filmes são lançados, os que estão no cinema e aqueles que já estão em DVD, para você assistir em casa.” (http://filmow.com/sobre-o-filmow/)

Aumente a velocidade do seu sistema aliviado o arquivo de swap

A maioria dos sistemas operacionais são capases de usar um arquivo ou uma partição conhecida como swap ou arquivo de paginação. Grande parte das distribuições Linux instalam uma por padrão. Este arquivo é usado para aumentar a quantidade de RAM disponível escrevendo uma parte dela no seu disco rígido.

Há um problema nisso: discos rígidos são lentos. Não podemos corrigir este problema agora, mas podemos escapar dele. O kernel do Linux oferece a possibilidade de alterar a configuração que controla o quanto o arquivo de swap é usado, chamada swappiness. Se swappiness é alterado para zero, isso significa que a escrita em disco será evitada até o absolutamente necessário (quando esgotar sua memória), enquanto que se swappiness estiver configurada como 100, isso significa que os arquivos serão escritos em disco em todo tempo.

Meu Ubuntu vem por padrão configurado como 60, indicando que o arquivo de swap será usado com bastante frequência se o uso de memória chegar a um pouco menos da metade da RAM. Você pode checar o valor que está em seu sistema executando:

cat /proc/sys/vm/swappiness

Tenho 2GB de RAM e, sendo um bom valor, posso reduzir a escrita no disco rígido e alterar este número para 10 ou 15. O arquivo de swap será usado apenas quando o uso da RAM chegar a 80 ou 90 por cento. Para alterar o valor de swappiness:

sudo /etc/sysctl.conf

Altere (adicione se não existir a linha) no arquivo:

vm.swappiness = 15

Para evitar a necessidade de reiniciar o sistema, execute:

sudo swapoff -a
sudo swapon -a
sudo sysctl -p /etc/sysctl.conf

Adptado da dica do FOSSwire

Validar CPF com php

Uma função utilíssima para cadastros que exigem CPF. Returna true se o CPF for válido e false se inválido.


function valida_cpf($cpf) {
// verifica se e numerico
if(!is_numeric($cpf)) {
return false;
}

// verifica se esta usando a repeticao de um numero
if( ($cpf == '11111111111') || ($cpf == '22222222222') || ($cpf == '33333333333') || ($cpf == '44444444444') || ($cpf == '55555555555') || ($cpf == '66666666666') || ($cpf == '77777777777') || ($cpf == '88888888888') || ($cpf == '99999999999') || ($cpf == '00000000000') ) {
return false;
}

//PEGA O DIGITO VERIFIACADOR
$dv_informado = substr($cpf, 9,2);

for($i=0; $i<=8; $i++) {
$digito[$i] = substr($cpf, $i,1);
}

//CALCULA O VALOR DO 10º DIGITO DE VERIFICAÇÂO
$posicao = 10;
$soma = 0;

for($i=0; $i<=8; $i++) {
$soma = $soma + $digito[$i] * $posicao;
$posicao = $posicao - 1;
}

$digito[9] = $soma % 11;

if($digito[9] < 2) {
$digito[9] = 0;
} else {
$digito[9] = 11 - $digito[9];
}

//CALCULA O VALOR DO 11º DIGITO DE VERIFICAÇÃO
$posicao = 11;
$soma = 0;

for ($i=0; $i<=9; $i++) {
$soma = $soma + $digito[$i] * $posicao;
$posicao = $posicao - 1;
}

$digito[10] = $soma % 11;

if ($digito[10] < 2) {
$digito[10] = 0;
}
else {
$digito[10] = 11 - $digito[10];
}

//VERIFICA SE O DV CALCULADO É IGUAL AO INFORMADO
$dv = $digito[9] * 10 + $digito[10];
if ($dv != $dv_informado) {
return false;
}

return true;
} // function valida_cpf($cpf)

Copie o código aqui.

Código adaptado do iMasters.

Por que o linux é melhor?

Essa eu copiei do De Tudo Um Pouco.

Eu acho que as pessoas não vão mudar para o Linux só porque ele é livre (código aberto) ou porque é de graça (provavelmente pensam que não pagaram nada pelo Windows), mas principalmente porque vêem funções novas e originais que não existem no Windows. Então, aqui estão algumas razões do Linux ser excelente!

Saiba o que o pingüim tem e experimente o Ubuntu!

Lista brasileira de equipamentos e serviços compatíveis com Linux

Ajude a divulgar a lista brasileira de equipamentos e serviços compatíveis com Linux
…e concorra a MP4 e MP3 players, mochilas Targus, períodos de VoIP grátis e até a ventiladores USB – além de contribuir automaticamente para doações para a Wikipedia e o WordPress! O BR-Linux coletou mais de 12.000 registros de compatibilidade de equipamentos e serviços (webcams, scanners, notebooks, …) na sua Pesquisa Nacional de Compatibilidade 2007, e agora convida a comunidade a ajudar a divulgar o resultado. Veja as regras da promoção no BR-Linux e ajude a divulgar – quanto mais divulgação, maior será a doação do BR-Linux à Wikipedia e ao WordPress.

Mudando para o Ubuntu

Quem estiver testando uma distribuição linux e escolher o Ubuntu
saiba que existe uma comunidade brasileira contribuindo com a tradução,
segurança e suporte!

Veja nesse link como obter ajuda.

Todos podem colaborar divulgando, traduzindo, documentando, sugerindo correções e informando erros. O simples fato de usar e enviar anonimamente suas informações de hardware já é uma ajuda muito grande.

Utilize o Fórum em português para questionar qualquer coisa, o WIKI para obter documentação feita pela comunidade, o IRC para bater papo e conhecer outros usuários.

Saiba também que existe um Guia completo dentro do sistema. Acesse o menu Sistema > Ajuda.

Venha conhecer o sistema operacional que mais cresce no mundo e que está cativando muita gente!

Comece já!

Perigo à Vista

Li, no iMasters, que Jeff Raikes, diretor da área de negócios da Microsoft, disse: “Se quiser piratear, preferimos que seja os nossos produtos antes que qualquer outro. A longo prazo, é essencial termos uma boa base de consumidores que utilizem nossos produtos. Com o tempo, eles podem comprar o software de forma legal”, alegango que o programa de Vantagem para Windows Genuíno (Windows Genuine Advantage) tem como objetivo estimular a compra do programa original e não coibir o uso do pirata. Não é o que tenho visto.

Toda atualização, ou baixa de programa, agora é precedida pelo programa de verificação de originalidade, ou seja, quem tem o sistema não-original não atualiza mais seus sistema operacional (que a cada dia tem uma falha ou brecha descoberta) nem pode atualizar algum programa (como o Internet Explorer 7, por exemplo). Não quero defender nenhum lado, apenas observar o que considero o caminho natural daqui para a frente.

O amplo uso do computador como ferramenta de trabalho (“ele pode ser nosso maior aliado”, ouvi e concordei com um vídeo), muitos profissionais estão tendo um conhecimento a mais sobre o funcionamento dessa máquina. O Windows Vista vem apertando o cerco no que se refere ao uso do programa pirata, mesmo com as notícias de quebra que vemos atualmente, pois são todas alternativas de uso temporário. Com mais conhecimento do funcionamento de seus computadores pessoal, será natural a procura por alternativas e é aí que entram as distribuições (falo das distribuições Linux, que são as que conheço) que sofreram grande desenvolvimento nos últimos tempos.

Ela ainda exigem um certo conhecimento maior do que o habitual ligar-abrir-o-ie-entrar-no-sistema-fechar-tudo-desligar, mas já não é mais um mistério total. Hoje, com conhecimentos medianos de uso de um computador (o que cresce a cada dia) já é possível instalar uma distribuição Linux voltada para o uso de estações com grande facilidade, com a maravilhosa característica dos programas de código-aberto: não precisar pagar para utilizá-lo.

O que as distribuições Linux têm oferecido aos que resolvem embarcar nessa tentativa, até mesmo com máquinas modestas, é fascinante. Um exemplo da distribuição que tenho mais contato, o Ubuntu (pronuncia-se Ubúntu): para os acostumados com o Windows e suas janelas, ele traz janelas da mesma forma; para os ligados na facilidade das instalações de programas, há agora um método ainda mais fácil do que o atual Próximo > Próximo; para os que gostam de personalização da estação, há magníficas opções 3D; e por aí vai.

Nem todos continuarão, mas creio fortemente que muitos trilharão o caminho de sistemas operacionais alternativos, que, hoje, já não é privilégio de um conhecedor profundo de computadores, mas está à mão de usuários normais que conhecem um pouco além do básico. E normalmente não tem desapontado aos que se aventuram por um sistema lhe permite usar a inteligência. O Ubuntu já é bem familiar para os usuários de Windows e não imporá dificuldades, porém poderá se tirar muito mais se estudar um pouquinho sobre seu funcionamento, ainda mais porque é farto o material gerado pelas perguntas frequentes (e é gigantesco o prazer com que são respondidas).

É certo o desenvolvimento que será adquirido com o desafio. E a alegria com o seu crescimento.

Relacionados