Matando o tempo

Uma vez que você comece a usar a linha de comando, usa ps time para gerenciar sua lista de processos. Digitar apenas ps listará os processos que pertencem à sessão atual e que, a não ser que você esteja executando alguma coisa em segundo plano, serão apenas dois: o shell do Bash (se for a sua escolha) e o próprio comando ps. Não há muito uso: a maioria das pessoas usa ps ux para ver todos os processos próprios e ps aux para listar todos os processos do sistema.

É fácil encontrar processos que está procurando passando o resultado de ps para o grep, como em ps aux|grep firefox. Para processos zumbis, tipicamente sai-se à caça dos processos quando o comportamento estranho é iniciado antes de chamar kill -9 pid para matar o ofensor. pid é o número de identificação do processo como informado pela saída do comando ps.

Mas há outra opção – usar o comando pidof para pegar o ID de um processo que você sabe que está executando. Usando o Forefox como um exemplo, basta digitar pidof firefox. A saída será semelhante a:

pidof firefox
18380 18021 24825 13081 6478 6473 6472

Isto significa que há sete instâncias do Firefox executando no momento e cada número é o ID de processo de cada instância. O maior número é o processo mais recente. Por exemplo, você poderia matar o último Firefox em execulção com kill -9 18380.

Um dos aspectos mais úteis de pidof é que você pode usá-lo para trabalhar com o identificador do processo quando não pode manualmente manipular a saída do ps. É perfeito para scripts que precisam encontrar e matar um processo ou talvez dá-los uma maior ou menor prioridade sem perder tempo procurando pela saída do ps·

Mais em Truques de linha de comando.

Um comentário sobre “Matando o tempo

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.