Tropeçando 68

PG Phriday: 10 Ways to Ruin Performance: Functionally Bankrupt

O uso inadequado de funções em consultas e índices e que arruinam a performance do banco.

A arte da linha de comando

Fluência na linha de comando é uma habilidade muitas vezes negligenciada ou considerada obsoleta, porém ela aumenta sua flexibilidade e produtividade como desenvolvedor de diversas maneiras, sutis ou não. Este texto descreve uma seleção de notas e dicas de uso da linha de comando que me parecem muito uteis, quando usando o Linux. Algumas dicas são elementares, e outras são mais específicas, sofisticadas ou obscuras. Esta página é curta, mas se você souber usar e lembrar todos os items que estão aqui, então você está mandando bem.

Verify that a network connection is secure

Através da captura dos pacotes que trafegam na rede em que você está conectado, verifique se há vulnerabilidades e a  possibilidade de desvio das informações quando você está usando protocolos de encriptação.

7 Essential JavaScript Functions

Funções JavaScript utilíssimas: debounce, poll, once, getAbsoluteURL, isNative, insertRule, matchesSelector

PG Phriday: Partitioning Candidates

Entendendo quando tabelas são boas candidatas ao particionamento

Oirartnocoa

O comando mais comum para ler um arquivo de texto é cat (ou less se você quer ler página a página, mas não é sobre isso que estamos falando). Ele inicia do início e termina no final, o que é totalmente lógico mas não é sempre isso que precisamos. Se você quer ler um arquivo ao contrário (digo, quando precisamos ler um arquivo de log e você precisa da entrada mais recente primeiro), apenas execute cat ao contrário. Isso mesmo: tac faz o mesmo que cat ao contrário.

E caso você não queira uma ordem específica mas quer as linhas da saída aleatoriamente misturadas? Para isso usamos o comando shuf. Agora não será particularmente útil para arquivos de log (OK, é completamente inútil para arquivos de log), mas e se você quer uma lista de arquivos de música para passar ao tocador de músicas? A entrada não precisa ser um arquivo, pode ser uma entrada padrão, então você pode tocar seus arquivos Ogg Vorbis aleatoriamente com:

ls -1 ~/music/**/*.ogg | shuff | mplayer -playlist -

ou

mplayer $(ls -1 ~/music/**/*.ogg | shuff)

Tropeçando 3

Recuperando pendrives problemáticos « Plínio Torres

Como solucionar problemas com pendrives inacessíveis ou queimados e a solução nem sempre é jogar o dito cujo fora.

dBpoweramp: CD Ripper & Audio Converter. Secure ripping to mp3, FLAC, m4a, Apple Lossless & WMA

Extrator de CD e Conversor de Áudio (wma para mp3, por exemplo) com opções avançadas

A última de bluetooth – rede entre dois GNU/Linux

No trabalho você tem um pc ligado a internet via wifi, ethernet, ou similares. Você leva seu notebook que gostaria que estivesse conectado também, como fica? Você está no aeroporto com mais uma pessoa, os dois de notebook, só um modem 3G, como fica? E se vocês tiverem só um login da Vex, prestadora de acesso wifi, como fica?

Você faz uma rede bluetooth entre os dois e compartilha a conexão, ora. (com exceção do primeiro, todos os comandos abaixo são como root)

A inovação no X Window: bem-vindo ao novo Xorg

Ao longo dos anos, muitas pessoas têm reclamado do sistema X Window. O X Window (ou sua implementação mais popular no momento, o Xorg) é a camada que fica entre os aplicativos e a placa de vídeo. Ele tem recursos fantásticos (como a capacidade de executar aplicativos via rede), mas tem alguns probleminhas (como parecer ter sido construído de trás para a frente). Uma coisa é certa: ele evoluiu enormemente de um ano para cá, especialmente no que diz respeito aos gráficos 3D e à aceleração por hardware. Neste artigo, vou explicar como o X Window mudou, e o que podemos esperar dele no futuro. Várias coisas relevantes aconteceram, e uma depende da outra. Mas antes de mais nada, algumas explicações básicas.

Paje Online: Como Converter Vídeos no Linux?

Converter arquivos de vídeos e som no Linux, abrangendo os mais variados formatos e codecs, pode ser uma tarefa razoavelmente simples, bastando conhecer o programa certo. Nesta dica vamos apresentar o programa “ffmpeg”.

Comandos Básicos – Ubuntu Brasil

Muito embora o Linux possua diversas e ótimas interfaces gráfica (GUI’s – Graphical User Interfaces) bastante amigáveis, dentre as quais destacamos o Gnome e KDE, como de resto todos os sistemas operacionais Unix, ainda requerem por vezes que façamos uso da linha de comando. O ambiente tradicional do Unix é o CLI (Command Line Interface), onde você digita os comandos para dizer ao computador o que ele deve fazer. Esse modo é extremamente poderoso e rápido, porém implica que você saiba para que serve cada comando e seus diversos parâmetros.

Instructables – Make, How To, and DIY

Aprenda a fazer tudo