Tropeçando 77

How to Measure Execution Time in Node.js

Design Pattern Workshop

Recently on the pgsql-performance mailing list, a question popped up regarding Postgres RAM usage. In this instance Pietro wondered why Postgres wasn’t using more RAM, and why his process was taking so long. There were a few insightful replies, and they’re each interesting for reasons that aren’t immediately obvious. Let’s see what is really going on here, and perhaps answer a question while we’re at it.

Ativando o Optimus NVIDIA GPU no Dell XPS 15 com Linux, mesmo na bateria

New Features Coming in PostgreSQL 10

Postgres 10 highlight – SCRAM authentication

Tropeçando 68

PG Phriday: 10 Ways to Ruin Performance: Functionally Bankrupt

O uso inadequado de funções em consultas e índices e que arruinam a performance do banco.

A arte da linha de comando

Fluência na linha de comando é uma habilidade muitas vezes negligenciada ou considerada obsoleta, porém ela aumenta sua flexibilidade e produtividade como desenvolvedor de diversas maneiras, sutis ou não. Este texto descreve uma seleção de notas e dicas de uso da linha de comando que me parecem muito uteis, quando usando o Linux. Algumas dicas são elementares, e outras são mais específicas, sofisticadas ou obscuras. Esta página é curta, mas se você souber usar e lembrar todos os items que estão aqui, então você está mandando bem.

Verify that a network connection is secure

Através da captura dos pacotes que trafegam na rede em que você está conectado, verifique se há vulnerabilidades e a  possibilidade de desvio das informações quando você está usando protocolos de encriptação.

7 Essential JavaScript Functions

Funções JavaScript utilíssimas: debounce, poll, once, getAbsoluteURL, isNative, insertRule, matchesSelector

PG Phriday: Partitioning Candidates

Entendendo quando tabelas são boas candidatas ao particionamento

Tropeçando 64

Oracle X PostgreSQL – Parte I: Semelhanças

Flash atualizado no Linux: Tenha a versão mais recente com o Fresh Player Plugin

How to Recover an Encrypted Home Directory on Ubuntu

Recovering an encrypted home directory when you don’t have the former operational system anymore. Or you are accessing through an external hard driver or something else.

Tag All The Things
Tag All The Things 2
Tag All The Things 3

Série AngularJS: Filter ordenando tabela por coluna

Problema do ano 2038

Playing around with ~/.gvfs/

Building Huuuuuge Apps with AngularJS

Partial aggregation: The beautiful way

I have PostgreSQL, loaded some data, and have app using it. Now what?

Agora que o banco já está no ar e sendo usado, é muito importante cuidar da sua saúde. Vamos, portanto, aplicar:

  • streaming replication de master para slave
  • walarchiving para o servidor storage deixando-o disponível para recuperação por backup
  • walarchiving para o servidor slave para que no caso do slave cair, será possível a recuperação sem que seja necessário refazer a replicação
  • limpeza de walarchive no slave – xlogs desnecessários serão removidos
  • backups diários, executados a partir do slave e salvos no servidor storage, sem que haja nenhum trabalho adicional no master (excetuando-se iniciar e encerrar o modo de backup, o que não afeta o desempenho normal do master)
  • backups e walarchive no storage são mantidos em sincronia (sem xlogs que são inúteis) e pequenos o suficiente

Tropeçando 51

Timing a Query

EncryptedHome – Community Ubuntu Documentation

Deprecated features in PostgreSQL – Past to present

[ubuntu] HOW-TO encrypt your home directory – Ubuntu Forums

VIEW triggers RETURNING…

Somar campos de formulário com valores em Reais em javascript

Formatar em moeda reais com expressão regular em javascript

Tropeçando 50

Adcionando legendas em videos mkv no Linux « Jan Souza – my Projects

PicMonkey – Photo Editing Made of Win

Free online photo editor

Thimble, o editor HTML da Mozilla

Leftronic – Um painel dinâmico com a informação de sua empresa na Internet

Editando arquivos em PDF no Ubuntu

Bê-a-bá do GPG, parte 1: crie sua chave hoje mesmo

jQuery File Upload Demo

How to Create a Fast Hover Slideshow with CSS3 | Codrops

» Desenhando setas no HTML sem usar imagem (cross browser)

Canva – montagens de fotos

Editor para criação de montagem de fotos on-line.

Tropeçando 48

CEO da Canonical crava: o Ubuntu tablet OS contra o Android e o iOS | Ubuntu Dic…

Uma alternativa de sistema operacional para tablets desenvolvida pela Canonical: Ubuntu. Esta é uma entrevista dada pelo CEO da Canonical falando sobre o sistema.

[Dicas-L] Gravando a atividade do desktop com ffmpeg

[Dicas-L] Criando galeria de fotos com igal2

Perspectives on LedgerSMB: Application vs Database Programming

Bruce Momjian: Postgres Blog

Meu CSS mínimo comum a todos os projetos que desenvolvo | Desenvolvedor FrontEnd…

How Linux is Built – YouTube

Tropeçando 45

Ubuntu 10.10 64 Bits Oracle 11G R2 64 Bits ” /sbin

10 super useful tools for JavaScript developers | CatsWhoCode.com

jQuery Proven Performance Tips And Tricks (Slides)

Liberte espaço do seu disco com o Apt-Get! | Ubuntued

Linux: Teste de estresse entre software livre e soluções proprietárias [Artigo]

Joint – JavaScript diagramming library

How big is my database and my other stuff – Postgres OnLine Journal

Vídeo-aula: Expressões Regulares – Quantificadores Gulosos | AURELIO.NET

Louis C.K., Velha Mídia é a Mãe e a batalha contra a pirataria

Oirartnocoa

O comando mais comum para ler um arquivo de texto é cat (ou less se você quer ler página a página, mas não é sobre isso que estamos falando). Ele inicia do início e termina no final, o que é totalmente lógico mas não é sempre isso que precisamos. Se você quer ler um arquivo ao contrário (digo, quando precisamos ler um arquivo de log e você precisa da entrada mais recente primeiro), apenas execute cat ao contrário. Isso mesmo: tac faz o mesmo que cat ao contrário.

E caso você não queira uma ordem específica mas quer as linhas da saída aleatoriamente misturadas? Para isso usamos o comando shuf. Agora não será particularmente útil para arquivos de log (OK, é completamente inútil para arquivos de log), mas e se você quer uma lista de arquivos de música para passar ao tocador de músicas? A entrada não precisa ser um arquivo, pode ser uma entrada padrão, então você pode tocar seus arquivos Ogg Vorbis aleatoriamente com:

ls -1 ~/music/**/*.ogg | shuff | mplayer -playlist -

ou

mplayer $(ls -1 ~/music/**/*.ogg | shuff)