Claro sobretaxando e tratando pessimamento o cliente

(Também em no ReclameAqui)

Cada mês recebemos um presente surpresa da Claro. Sempre um cavalo-de-tróia. O último foi impressioante e coroado com um flagrante desrespeito ao consumidor.

É uma continuação de http://www.reclameaqui.com.br/669531/claro/venda-casada-e-enganosa/, pois após todas as (infrutíferas) tentativas decidimos encerrar as nossas linhas com a Claro, pois nem um mínimo desejo de colaborar sentimos por parte da Claro. O que nos prendia era apenas o valor da quebra da fidelidade (essa mesmo, a imposta), mesmo após muitos anos como cliente, e eram duas linhas. Decidimos iniciar pela linha da minha esposa, que teve seu telefone roubado em 30/08/2010.

Após o assalto e o comunicado, a Claro teve necessidade de algumas comunicações de confirmação do bloqueio da linha e não nos mandou o boleto da conta naquele mês. Mas tudo bem, aguardamos, pois sabíamos que a próxima já viria com um valor bem menor devido ao roubo e nossa imediato bloqueio.

A conta chegou e junto a absuvida cobrança de mais de R$ 310,00. Seriam quase R$ 150,00 do mês anterior e mais de R$ 165,00 do último mês, sendo que a conta é a de 200 minutos a R$ 110,00 (com pacote de dados), mais 1200 minutos de bônus a vencer dia 12. Não fazia sentido termos gastado tanto ainda mais com o celular bloqueado a mais de um mês.

No contato com a Claro chegaram ao cúmulo de inferir que havíamos gasto todos os minutos do plano mais os minutos da promoção e ultrapassado os dois meses de plano entre o fechamento da conta de 08/10 a 09/10. Depois nos disseram que a conta não estava no sistema indicada como bloqueada por roubo (apesar do protocolo). Depois acrescentaram que a cobrança veio a mais porque o total devia ser calculado em cima dos dias do mês, de maneira que teríamos como um “limite diário” de minutagem para gastar e que, ultrapassado, gera cobrança na conta, pois era uma “questão de justiça com os clientes que usam menos”.

No dia seguinte a única opção era o cancelamento sumário e direto na loja da Claro, pois TODOS (menos um, perdoe-me o aparente erro) os telefonemas que fizemos à Claro para o cancelamento foram desligados pela central de atendimento. Fomos cancelar no NorteShopping. Minha esposa entrou na loja da Claro primeiro para já resolver o problema. Quando eu cheguei na loja, fechada, a pessoa responsável simplesmente não me deixou entrar (pois já era mais de 22h), mesmo com minha esposa e sogra já estarem sendo atendidas. A pessoa nem se preocupou em ir falar pessoalmente comigo, fazendo sinal para qualquer coisa eu ligar para reclamar com a central e que não me deixaria entrar porque eu era um “estranho”, mesmo sendo informada que eu estava com as duas e tendo aprovação de outras funcionárias que pareciam também ter alguma autoridade. Proibindo a minha entrada por ser “mais de 22h”, ela agiu de forma diferente quando apareceu uma ex-funcionária da loja, para quem abriu com prazer e sorriso no rosto.

É impressionante como a Claro se esforça para perder clientes de longa data e manchar sua imagem com atitudes de desprezo ao cliente. Eu estava em uma loja da TIM, no mesmo dia, e vi pessoas na mesma situação que eu (com parentes dentro e as pessoas do lado de fora) serem recebidas com sorriso no rosto pela recepcionista e um pronto “quer entrar para acompanhá-lo(a)?”

Cada mês recebemos um presente surpresa da Claro. Sempre um cavalo-de-tróia. O último foi impressioante e coroado com um flagrante desrespeito ao consumidor.

É uma continuação de http://www.reclameaqui.com.br/669531/claro/venda-casada-e-enganosa/, pois após todas as (infrutíferas) tentativas decidimos encerrar as nossas linhas com a Claro, pois nem um mínimo desejo de colaborar sentimos por parte da Claro. O que nos prendia era apenas o valor da quebra da fidelidade (essa mesmo, a imposta), mesmo após muitos anos como cliente, e eram duas linhas. Decidimos iniciar pela linha da minha esposa, que teve seu telefone roubado em 30/08/2010.

Após o assalto e o comunicado, a Claro teve necessidade de algumas comunicações de confirmação do bloqueio da linha e não nos mandou o boleto da conta naquele mês. Mas tudo bem, aguardamos, pois sabíamos que a próxima já viria com um valor bem menor devido ao roubo e nossa imediato bloqueio.

A conta chegou e junto a absuvida cobrança de mais de R$ 310,00. Seriam quase R$ 150,00 do mês anterior e mais de R$ 165,00 do último mês, sendo que a conta é a de 200 minutos a R$ 110,00 (com pacote de dados), mais 1200 minutos de bônus a vencer dia 12. Não fazia sentido termos gastado tanto ainda mais com o celular bloqueado a mais de um mês.

No contato com a Claro chegaram ao cúmulo de inferir que havíamos gasto todos os minutos do plano mais os minutos da promoção e ultrapassado os dois meses de plano entre o fechamento da conta de 08/10 a 09/10. Depois nos disseram que a conta não estava no sistema indicada como bloqueada por roubo (apesar do protocolo). Depois acrescentaram que a cobrança veio a mais porque o total devia ser calculado em cima dos dias do mês, de maneira que teríamos como um “limite diário” de minutagem para gastar e que, ultrapassado, gera cobrança na conta, pois era uma “questão de justiça com os clientes que usam menos”.

No dia seguinte a única opção era o cancelamento sumário e direto na loja da Claro, pois TODOS (menos um, perdoe-me o aparente erro) os telefonemas que fizemos à Claro para o cancelamento foram desligados pela central de atendimento. Fomos cancelar no NorteShopping. Minha esposa entrou na loja da Claro primeiro para já resolver o problema. Quando eu cheguei na loja, fechada, a pessoa responsável simplesmente não me deixou entrar (pois já era mais de 22h), mesmo com minha esposa e sogra já estarem sendo atendidas. A pessoa nem se preocupou em ir falar pessoalmente comigo, fazendo sinal para qualquer coisa eu ligar para reclamar com a central e que não me deixaria entrar porque eu era um “estranho”, mesmo sendo informada que eu estava com as duas e tendo aprovação de outras funcionárias que pareciam também ter alguma autoridade. Proibindo a minha entrada por ser “mais de 22h”, ela agiu de forma diferente quando apareceu uma ex-funcionária da loja, para quem abriu com prazer e sorriso no rosto.

É impressionante como a Claro se esforça para perder clientes de longa data e manchar sua imagem com atitudes de desprezo ao cliente. Eu estava em uma loja da TIM, no mesmo dia, e vi pessoas na mesma situação que eu (com parentes dentro e as pessoas do lado de fora) serem recebidas com sorriso no rosto pela recepcionista e um pronto “quer entrar para acompanhá-lo(a)?”

Clientes não devem mesmo ser importantes pra Claro. Agora só me resta correr pra Oi, de quem já recusei diversas boas ofertas, juntando o fixo e a internet velox que já possuo, levando meus sogros e cunhado juntos.

Deixe uma resposta