Receita para vários gostos

Hoje, após o almoço, já estava comentando a chegada do período de declaração do imposto de renda e lendo os feeds vejo que a Receita nos traz uma maravilhosa novidade – bela demonstração de respeito.

Opções de instalação do programa de IR 2011
Opções de instalação do programa de IR 2011

A lista dos instaladores contempla Windows, binário para o Linux, rpm para distribuições Linux que usam o pacote da Red Hat, deb para distribuições baseadas em Debian, Mac e os multiplataformas jar.

Não só o crescimento do Ubuntu influencia a necessidade de se olhar para o público que o utiliza, como vemos que discussões e alternativas ganham cada vez mais adeptos.

Todas as alternativas ganham com isso. Se desenvolvem, melhoram e proporcionam aos seus usuários uma experiência cada vez melhor.

Excelente, Receita!

O visual do saite está melhorando muito. E, para complementar o esforço em direção às tecnologias atuais e o movimento social, temos uma enquete que vale a pena responder.

Enquente - Ajudou?
Enquente - Ajudou?

Claro sobretaxando e tratando pessimamento o cliente

(Também em no ReclameAqui)

Cada mês recebemos um presente surpresa da Claro. Sempre um cavalo-de-tróia. O último foi impressioante e coroado com um flagrante desrespeito ao consumidor.

É uma continuação de http://www.reclameaqui.com.br/669531/claro/venda-casada-e-enganosa/, pois após todas as (infrutíferas) tentativas decidimos encerrar as nossas linhas com a Claro, pois nem um mínimo desejo de colaborar sentimos por parte da Claro. O que nos prendia era apenas o valor da quebra da fidelidade (essa mesmo, a imposta), mesmo após muitos anos como cliente, e eram duas linhas. Decidimos iniciar pela linha da minha esposa, que teve seu telefone roubado em 30/08/2010.

Após o assalto e o comunicado, a Claro teve necessidade de algumas comunicações de confirmação do bloqueio da linha e não nos mandou o boleto da conta naquele mês. Mas tudo bem, aguardamos, pois sabíamos que a próxima já viria com um valor bem menor devido ao roubo e nossa imediato bloqueio.

A conta chegou e junto a absuvida cobrança de mais de R$ 310,00. Seriam quase R$ 150,00 do mês anterior e mais de R$ 165,00 do último mês, sendo que a conta é a de 200 minutos a R$ 110,00 (com pacote de dados), mais 1200 minutos de bônus a vencer dia 12. Não fazia sentido termos gastado tanto ainda mais com o celular bloqueado a mais de um mês.

No contato com a Claro chegaram ao cúmulo de inferir que havíamos gasto todos os minutos do plano mais os minutos da promoção e ultrapassado os dois meses de plano entre o fechamento da conta de 08/10 a 09/10. Depois nos disseram que a conta não estava no sistema indicada como bloqueada por roubo (apesar do protocolo). Depois acrescentaram que a cobrança veio a mais porque o total devia ser calculado em cima dos dias do mês, de maneira que teríamos como um “limite diário” de minutagem para gastar e que, ultrapassado, gera cobrança na conta, pois era uma “questão de justiça com os clientes que usam menos”.

No dia seguinte a única opção era o cancelamento sumário e direto na loja da Claro, pois TODOS (menos um, perdoe-me o aparente erro) os telefonemas que fizemos à Claro para o cancelamento foram desligados pela central de atendimento. Fomos cancelar no NorteShopping. Minha esposa entrou na loja da Claro primeiro para já resolver o problema. Quando eu cheguei na loja, fechada, a pessoa responsável simplesmente não me deixou entrar (pois já era mais de 22h), mesmo com minha esposa e sogra já estarem sendo atendidas. A pessoa nem se preocupou em ir falar pessoalmente comigo, fazendo sinal para qualquer coisa eu ligar para reclamar com a central e que não me deixaria entrar porque eu era um “estranho”, mesmo sendo informada que eu estava com as duas e tendo aprovação de outras funcionárias que pareciam também ter alguma autoridade. Proibindo a minha entrada por ser “mais de 22h”, ela agiu de forma diferente quando apareceu uma ex-funcionária da loja, para quem abriu com prazer e sorriso no rosto.

É impressionante como a Claro se esforça para perder clientes de longa data e manchar sua imagem com atitudes de desprezo ao cliente. Eu estava em uma loja da TIM, no mesmo dia, e vi pessoas na mesma situação que eu (com parentes dentro e as pessoas do lado de fora) serem recebidas com sorriso no rosto pela recepcionista e um pronto “quer entrar para acompanhá-lo(a)?”

Cada mês recebemos um presente surpresa da Claro. Sempre um cavalo-de-tróia. O último foi impressioante e coroado com um flagrante desrespeito ao consumidor.

É uma continuação de http://www.reclameaqui.com.br/669531/claro/venda-casada-e-enganosa/, pois após todas as (infrutíferas) tentativas decidimos encerrar as nossas linhas com a Claro, pois nem um mínimo desejo de colaborar sentimos por parte da Claro. O que nos prendia era apenas o valor da quebra da fidelidade (essa mesmo, a imposta), mesmo após muitos anos como cliente, e eram duas linhas. Decidimos iniciar pela linha da minha esposa, que teve seu telefone roubado em 30/08/2010.

Após o assalto e o comunicado, a Claro teve necessidade de algumas comunicações de confirmação do bloqueio da linha e não nos mandou o boleto da conta naquele mês. Mas tudo bem, aguardamos, pois sabíamos que a próxima já viria com um valor bem menor devido ao roubo e nossa imediato bloqueio.

A conta chegou e junto a absuvida cobrança de mais de R$ 310,00. Seriam quase R$ 150,00 do mês anterior e mais de R$ 165,00 do último mês, sendo que a conta é a de 200 minutos a R$ 110,00 (com pacote de dados), mais 1200 minutos de bônus a vencer dia 12. Não fazia sentido termos gastado tanto ainda mais com o celular bloqueado a mais de um mês.

No contato com a Claro chegaram ao cúmulo de inferir que havíamos gasto todos os minutos do plano mais os minutos da promoção e ultrapassado os dois meses de plano entre o fechamento da conta de 08/10 a 09/10. Depois nos disseram que a conta não estava no sistema indicada como bloqueada por roubo (apesar do protocolo). Depois acrescentaram que a cobrança veio a mais porque o total devia ser calculado em cima dos dias do mês, de maneira que teríamos como um “limite diário” de minutagem para gastar e que, ultrapassado, gera cobrança na conta, pois era uma “questão de justiça com os clientes que usam menos”.

No dia seguinte a única opção era o cancelamento sumário e direto na loja da Claro, pois TODOS (menos um, perdoe-me o aparente erro) os telefonemas que fizemos à Claro para o cancelamento foram desligados pela central de atendimento. Fomos cancelar no NorteShopping. Minha esposa entrou na loja da Claro primeiro para já resolver o problema. Quando eu cheguei na loja, fechada, a pessoa responsável simplesmente não me deixou entrar (pois já era mais de 22h), mesmo com minha esposa e sogra já estarem sendo atendidas. A pessoa nem se preocupou em ir falar pessoalmente comigo, fazendo sinal para qualquer coisa eu ligar para reclamar com a central e que não me deixaria entrar porque eu era um “estranho”, mesmo sendo informada que eu estava com as duas e tendo aprovação de outras funcionárias que pareciam também ter alguma autoridade. Proibindo a minha entrada por ser “mais de 22h”, ela agiu de forma diferente quando apareceu uma ex-funcionária da loja, para quem abriu com prazer e sorriso no rosto.

É impressionante como a Claro se esforça para perder clientes de longa data e manchar sua imagem com atitudes de desprezo ao cliente. Eu estava em uma loja da TIM, no mesmo dia, e vi pessoas na mesma situação que eu (com parentes dentro e as pessoas do lado de fora) serem recebidas com sorriso no rosto pela recepcionista e um pronto “quer entrar para acompanhá-lo(a)?”

Clientes não devem mesmo ser importantes pra Claro. Agora só me resta correr pra Oi, de quem já recusei diversas boas ofertas, juntando o fixo e a internet velox que já possuo, levando meus sogros e cunhado juntos.

Claro em Venda casada e enganosa

(Esta é a reprodução da minha reclamação no ReclameAqui)

Sempre fui um entusiasta da Claro, única operadora que atendeu às minhas necessidades até hoje e sou cliente já há alguns anos. Neste ano, porém, a operadora destruiu todos os créditos que eu tinha com ela.

Há um tempo atrás minha esposa quis aproveitar a promoção de venda do celular Nokia E63 (excelente celular, por sinal) para a minha linha e a linha da minha esposa. O atendente, solícito, explicou mais de uma vez como funcionava o plano, indicando que teríamos que assinar o 200 para levar o celular. Até aí tudo tranqüilo.

O plano era de R$ 79,90 e que tínhamos que também ter o plano internet de 20mb que custava R$ 19,90 para uma das linhas, que não tinha pontos suficientes para cancelar o plano de internet. Argumentamos que era uma venda casa, mas foram irredutíveis e até aceitamos.

No fechamento da compra, nos foi oferecido, pois o plano permitia, uma linha adicional para cada linha, que falaria gratuitamente com a linha titular, bastando comprar o chip. Para encerrar a compra, pedimos para sermos cadastrados na promoção atual, o que se prosseguiu com a adesão à promoção do bônus de 1200 minutos para ligações para Claro. A surpresa veio na conta seguinte:

Descobrimos que o valor do plano controle foi cobrado junto com o novo plano 200. Dois planos sendo cobrados! Mas o serviço oferecido estava sendo apenas o do plano 200, sendo que pagamos também o valor correspondente do plano controle 35 anterior ao dia em que aderimos ao novo plano.

Descobrimos também que a linha que falaria gratuitamente com o titular não é o que nos venderam. Deve-se, na verdade, pagar R$ 19,90 no plano família para que isso aconteça. Não é de graça. Ao reclamar, o atendente que nos vendeu os planos disse que era assim mesmo e que eles eram “treinados para apresentar o plano assim, com ligação gratuita entre as linhas”, mesmo existindo um valor adicional a ser pago. É enganação! E nem era nossa necessidade ter essas linhas, tanto que nem as usamos pois havíamos comprado o chip para situações de emergência. Nos enganaram para um serviço que não precisávamos e não usamos. Descobri que a Claro está cobrando, inclusive, pela ligação entre essas linhas que estão no plano família.

O plano de internet, da linha da minha esposa, até hoje não funciona. Tentamos ligar diversas vezes para a Claro e a linha sempre é desligada antes de iniciarem a orientação. Fomos até a loja onde compramos e a única possibilidade de fazer a configuração é pelo telefone, que nunca conseguimos.

Quanto aos bônus, linha da minha esposa até recebeu a promoção que solicitamos a ser inscritos. A minha linha até hoje não. Eu ligo para o *525 e eles informam que minha promoçao só pode ser liberada pelo 1052, o 1052 diz que o bônus só pode ser liberado pelo *525 e até hoje, meses depois de iniciar o plano, ainda sou sobrado pelas ligações adicionais que faço para telefones Claro. Cada ligação demora no mínimo 30 minutos, na passagem de um lado para o outro, e eu nunca consigo aderir à promoção.

Entre os serviços adicionais que sou cobrado, sempre vem um valor absurdo por “Serviços, torpedos, hits, jogos etc.”, que não vem detalhado sobre o que é. Não reconheço tanto serviço extra que utilizo, pois não utilizo recursos da operadora além das ligações. Quando solicito o detalhamento ao 1052 eles me dizem que as cobranças são por mensagens que, ao serem abertas, automaticamente há cobrança. Um absuro, pois como vou saber o conteúdo de uma mensagem sem abrí-la? Eu não aceito nada de nenhuma mensagem, mas sou cobrado à minha revelia. E mais: os serviços extras cobrados são do chip que não uso e está guardado na caixa!

Cheguei a ir à loja onde comprei os aparelhos e aderi ao plano. Ao invés de ser ajudado, fui atendido pela mesmo outrora vendedor solícito de maneira fria e pudemos ouvir que ela reclamou a um outro colega que estávamos “enchendo o saco dele”, para usar palavras dele próprio. Uma lástima e um desrespeito na loja em pleno centro da cidade do Rio de Janeiro, ao lado da Petrobras.

Pelo passado que tive com a Claro, eu me interesso muito em ter um canal para conversar com a operadora sem que tenha que haver o desgaste das vias da justiça.

Taxista e o trânsito

Pelo menos aqui no Rio de Janeiro, os taxistas, que teoricamente são os profissionais do trânsito, são, notadamente, os piores motoristas. Algumas pessoas até falam mal dos motoristas de ônibus, mas, em minha concepção, os taxistas estão muito à frente quando se fala em dirigir mal e perigosamente.

Durante A Grande Família de ontem me diverti numa cena que é completamente real: Agostinho (Pedro Cardoso) está muito apreensivo para o exame de renovação da carteira de habilitação. Marilda (Andréa Beltrão) ajuda-o revendo as questões da prova e pergunta:

– O que você deve fazer quando está na pista da esquerda e vem um motorista em maior velocidade?
– Essa é mole. Eu não preciso fazer nada.
– Se você não precisasse fazer nada não seria uma questão do exame, né, Agostinho? Você tem que dar passagem ao invés de ficar se arrastando na pista da esquerda.

Taí o pensamento dos taxistas. Claro que estou generalizando, mas difícil mesmo é algum agir de maneira diferente da do Agostinho.

Outro dia, voltando de madrugada para casa, eu estava numa rua principal de Piedade quando um taxista abruptamente avançou o sinal de uma das ruas laterais para entrar nesta rua principal, inclusive avançando na pista contrária (a rua é de mão dupla). Eu estava um pouco distante, mas com uma boa velocidade porque os sinais estavam todos abertos para mim. Se eu não estivesse atento, certamente bateríamos. Diminuí um pouco a velocidade e fiz questão de buzinar com vontade desde o momento em que o vi avançando o sinal até o momento em que eu o ultrapassei. Ao parar no próximo sinal, ele parou ao meu lado e teve a cara de pau de querer tentar dizer alguma coisa. Eu me antecipei:

– Você é doido? Poderia causar um acidente numa pista a essa hora da noite com a pista livre e os sinais abertos para mim.
– Eu sei que estou errado, mas não tem necessidade de buzinar.
– Você tá errado e não tem direito de falar nada.

Só para não deixar o Agostinho mentir, a atitude do taxista demonstrou que ele ficou incomodado com minha buzina e não com o perigo que corremos pela imprudência dele. Às favas com a direção defensiva.

Vergonhoso.