Frases – entrevista de Jim Collins à Veja

“Se você só puder ouvir um único guru de negócios, ouça Jim Collins. Essa é a opinião unânime dos maiores empresários do mundo que lhe pagam 60.000 dólares por uma palestra de 45 minutos.”

“No mundo dos negócios, o ambiente é favorável para quem desenvolveu determinadas capacidades que vi muito bem representadas por empresários no Brasil, país que visitei duas vezes, em 1995 e 1998. Fiquei impressionado com a naturalidade e o relativo conforto com que eles lidam com a incerteza, tratando-a não como exceção, mas como um dado da vida.”

“Quando se junta a habilidade de lidar com a incerteza à chama criativa, a probabilidade de sucesso aumenta muito.”

“Os americanos têm qualidades extraordinárias, a mais notável delas, o arraigado espírito empreendedor. (…) Uma explicação para isso é que somos um país de imigrantes, de gente que deixou sua terra natal para começar do nada do outro lado do atlântico. (…) Os imigrantes não vinham para começar uma nova empresa, mas para começar toda uma vida. Nos Estados Unidos, a imigração somou-se a outro fator: a facilidade com que se abre um negócio. (…) É poderosíssima a idéia de que ninguém pode me impedir de abrir uma empresa na minha garagem.”

“[Para o Brasil reproduzir o espírito empreendedor americano] Em primeiro lugar, é preciso eliminar todo obstáculo para quem quiser começar uma empresa amanhã de manhã. Não pode haver papelada, burocracia, licença, coisas que atrapalham. (…) A segunda providência é criar mecanismos que sistematizem o processo de empreendedorismo: escolas de administração, capital de risco, investidores, fundos de pesquisa. (…) Empreendedorismo se ensina. (…) Em terceiro lugar, é necessário valorizar elementos de uma cultura em que a falência honesta seja respeitada.”

“[O que é mais importante para um empresário: a autoconfiança ou a humildade] As duas são fundamentais, mas eu começaria com a autoconfiança, que não deve ser confundida com a do Super-Homem. Falo da autoconfiança como sinônimo da fé inabalável de que as coisas vão dar certo, e não do sujeito que se julga capaz de superar qualquer obstáculo. (…) A autoconfiança é essa combinação de reconhecer a dureza da realidade e conjugá-la com uma fé de Churchill. É uma visão mais nuançada, não a idéia grosseira do líder autocentrado e todo-poderoso.”

“Não confunda sua empresa com seu produto. A maioria dos seus produtos não vai declar, mas isso não deve selar o destino de sua empresa.”

“Os melhores líderes empresariais se movem quase do mesmo modo que os artistas. Eles querem criar, construir algo verdadeiramente excepcional, que tenha impacto no mundo.”

“A criatividade serve para começar, mas, se o maluco criativo não tiver um lado de construtor, de organizador, ele ficará no meio do caminho.”

“É inevitável que, com o tempo, a maioria das empresas acabe falindo, mas não é necessário que isso aconteça. Pelo menos num período de 100 a 200 anos. Depois disso, não sei dizer. Nesse período, uma empresa deve infligir a destruição criativa sobre si mesma, renovando-se. E evitar que a destruição criativa seja infligida sobre ela. Mas, de um jeito ou de outro, o capitalismo avança.”