Vergonha estadual

“Crime tributário não é causa para quebra de decoro. Amanhã, isso pode ser usado contra os senhores. Porque muitos aqui têm problemas fiscais.”
Francisco Dornelles, senador do PP-RJ, defendendo “tecnicamente” a absolvição de Renan (Veja, edição 2.026 – ano 40 – nº 37, de 19 de setembro de 2007)

Como diriam os baianos: Aonde?

Uma tremenda vergonha essa insinuação do senador Dornelles. Os próprios legisladores não se importando no cumprimento da lei e, pior ainda, usando uma brecha para justificar uma abolvição absurda? O senador sabe que está em erro, sabe que o senador Renan Calheiros está errado, mas…

Na página de Marcelo Crivella, outro senador do Rio de Janeiro, ele declara:

Para Crivella, voto secreto desgasta imagem do Senado

Comentando a votação pelo Plenário do projeto que pedia a perda do mandato do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) afirmou que o voto secreto desgastou a imagem do Senado. Disse esperar que Renan, como gratidão ao beneplácito do Plenário, se afaste ou tire uma licença e deixe os outros processos contra ele no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar serem julgados sem sua presença no comando da Casa. Crivella lembrou ainda que, se as seis abstenções se transformassem em votos favoráveis ao parecer do conselho, Renan estaria banido da vida pública até 2019.

O resultado da votação, nesta quarta-feira (12), foi 35 votos pela perda do mandato, 40 contrários e 6 abstenções.
Agência Senado, 12/09/2007

Tá… E cadê o voto do senador? Creio que também foi a favor da absolvição, como Dornelles. Não encontrei na página do senador nenhum meio de perguntá-lo diretamente como foi o seu voto e não acredito que valha a pena perguntar pelo e-mail oficial, mesmo com sua declaração de que “voto secreto desgasta imagem do Senado” talvez sua resposta seja exatamente “desculpe, mas meu voto é secreto”. Será que quebro a cara? Gostaria muito.

[atualização-03/10/2007]Tem vezes que estar certo não é bom. E adivinhar o que o Crivella responderia foi uma dessas vezes.[/atualização]

O terceiro senador é Paulo Duque. Está na vaga, se não me engano, de Sérgio Cabral. O que será que ele votou?

Além de meu descontentamento com o que aconteceu no senado, ainda maior descontentamento com a declaração de Dornelles e a percepção de que todos os votos do Rio de Janeiro foram a favor da absolvição de Renan Calheiros, não quero ser contado entre os de memória curta. Ficará registrado o que aconteceu para que eu não vote em nenhum dos três na próxima eleição. Quem colabora com o crime é cúmplice.

Quem souber de outras manifestações sobre os senadores de seu estado, por favor, me avise.

[atualização-03/10/2007]
Confira como votaram os senadores. E é interessante o detalhe que “o resultado divulgado pela Casa apontou que 40 senadores votaram pela absolvição, 35 pela cassação, enquanto outros seis se abstiveram. Ouvidos pelo Terra, no entanto, 41 senadores disseram que votaram a favor da perda de mandato.
[atualização]

Textos relacionados: